quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Porca Véia

Porca miséria

“Inclusive xará, conselho meu – e eu faço – eu sonego tudo que for possível.“ Jair Messias Bolsonaro


Pensa a tuo figlio, porca miseria.
Pensa no teu filho, pelo amor de deus!

"tudo bem, x.?"


Histórias de Bolso em vídeos

Lembranças do Sul para quem se perdeu do Norte


Bolsonaro - Confissão de crime de sonegação


Bolsonaro diz que sonega impostos




Meu nome é Alcides
Mas todos me chamam
Quindim de mulher








Flavio Cavalcanti 01 - Emílio Santiago em 1973



Quando as almas perdidas se encontram
Machucadas pelo desprazer



Lembranças
Porca Véia
 

Quando as almas perdidas se encontram
Machucadas pelo desprazer
Um aceno um riso apenas
Da vontade da gente viver
São os velhos mistérios da vida
Rebenqueados pelo dia-a-dia
(Já cansados de tanta tristeza
Vão em busca de nova alegria

E ao morrer nesta tarde morena
Quando o sol despacito se vai
As lembranças tranqueiam com as águas
Passageiras do rio Uruguai
E as guitarras eternas cigarras
Entre as flores dos velhos ipês
(Sempre vivas dormidas se acordam
Na lembrança da primeira vez)

Composição: Telmo de Lima Freitas

Biografia de Porca Véia
Porca Véia, nome artístico de Élio da Rosa Xavier (Lagoa Vermelha, 2 de março de 1952) é um acordeonista e gaiteiro brasileiro. Foi aluno dos Irmãos Bertussi, que até hoje ele reverência tocando a música Bertussi nos bailes. Tocou no Grupo Candieiro, no Porca Véia e e Os Tropeiritos.

Produtor rural até aos 16 anos, começou sua carreira artística com seis anos de idade, por influência da família, onde havia muitos músicos amadores. Fez o curso de técnico agrícola, quando ganhou o apelido que é hoje nome artístico. Participou de muitos festivais e apresentou-se com Kleiton e Kledir nas melhores casas de espetáculo do Brasil, como o Canecão do Rio de Janeiro, e o Palace em São Paulo.

Criou e dirige o grupo musical Cordiona, um grupo de baile bem fandangueiro. Recebeu vários títulos, como Cidadão Honorário, Comendador da Brigada Militar, Amigo da Brigada, Destaque Musical. Tem 15 CDs gravados e um DVD. Ganhou duas vezes o Disco de Ouro.


Biografia de Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (1955) é capitão da reserva do Exército e político brasileiro. Exerce seu sétimo mandato de deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro. É pré-candidato à Presidência da República nas eleições de 2018. 
Jair Messias Bolsonaro nasceu em Campinas, São Paulo, no dia 21 de março de 1955. Filho de Perci Geraldo Bolsonaro e de Olinda Bonturi, ambos descendentes de famílias italianas. Foi aluno da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, de Campinas. Em 1977 formou-se na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, Rio de Janeiro. Cursou a Brigada de Paraquedismo do Rio de Janeiro. Em 1983 formou-se no curso de Educação Física do Exército. Chegou a patente de Capitão.
Em 1986 liderou um protesto contra os baixos salários dos militares. Escreveu um artigo para uma revista de grande circulação no país, intitulado “O salário está baixo”. Por infringir o regulamento disciplinar do Exército, foi preso durante 15 dias. No ano seguinte, novos atos de indisciplina foram realizados. A “Operação beco sem saída” tinha como objetivos explodir bombas em várias unidades da vila militar da Academia Militar das Agulhas Negras e em outros quarteis, se o reajuste de salário ficasse abaixo de 60%. O plano foi atribuído a Bolsonaro e ao Capitão Fábio Passos. Em junho de 1988, os militares foram julgados e inocentados. Nesse mesmo ano, Bolsonaro foi para a reserva com a patente de Capitão.



Ponto de Vista

O salário está baixo
Capitão Jair Messias Bolsonaro

VEJA, 3 DE SETEMBRO, 1986, P. 154





Brasil nunca mais



“Compartilho com vocês minha dificuldade de agora, ela paralisa e asfixia. Houve tempos em que minha inconsciente juventude permitia que eu colorisse com festas a mais feiosa das vidas. O mais cinzento dos tempos. Não sei o tipo de patologia, mas eu floria exuberâncias onde poucas flores tinham, pintava beleza onde ligeiro traço havia, enaltecia elegância havendo leves sugestões. E todos resplandeciam, e os cenários preciosos emolduravam casamentos, festas, jantares, em que todos almejavam estar, e a vida se tornava mais perfeita para os frequentadores daqueles ambientes ou os apenas leitores de minhas páginas de jornal. Eu tinha o dom.” Hildegard Angel



furta-cor
substantivo masculino
1.
cor cambiante, de tonalidade alterada conforme a luz que se projeta sobre ela; furta-cores.
2.
substantivo feminino
HERP
serpente diurna e arborícola ( Philodryas mattogrossensis ), da fam. dos colubrídeos, encontrada no Sul do Brasil e países vizinhos [Alimenta-se esp. de rãs e lagartos.].







Referências

http://context.reverso.net/traducao/italiano-portugues/porca+miseria
https://www.letras.com.br/biografia/porca-veia
https://www.ebiografia.com/jair_bolsonaro/
http://www.hildegardangel.com.br/brasil-nunca-mais-2/
https://www.google.com.br/search?q=furta+cor&oq=Furta+-+cor&aqs=chrome.1.69i57j0l5.8553j0j1&sourceid=chrome&ie=UTF-8
file:///D:/Usu%C3%A1rio/Documents/O%20sal%C3%A1rio%20est%C3%A1%20baixo%20Jair%20B.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário